Flora

A vegetação do Parque das Dunas é representada pelo ecossistema de restinga. Este ecossistema faz parte do bioma da Mata Atlântica e tem por características o solo arenoso e salino. A vegetação de Restinga, ao tempo em que fixa as Dunas, impedindo o movimento da areia, em perfeita interação com fatores abióticos como ventos, salinidade, sedimentos, agrega também uma grande biodiversidade. As comunidades vegetais são formadas principalmente por halófitas herbáceas e arbustivas, apresentando também extratos arbóreos.

As plantas encontradas no Parque estão adaptadas a níveis elevados de stress hídrico, ou seja, resistem à falta de água e períodos de seca. Estudos apontam que as espécies encontradas no lugar tem valor paisagístico e urbanístico, uma vez que não precisam de constante irrigação. Esse valor e a necessidade de se promover pesquisas na área de restinga fez com que a UNIDUNAS criasse o Horto de Restinga. O projeto tem como objetivo promover estudos sobre as espécies de plantas do ecossistema e promover a sustentabilidade do Parque das Dunas.

Comum na região do Cerrado e nas dunas, a “Canela-de-ema”, uma planta da Família da “Velloziácea”, traz em suas folhas uma resina, que funciona como um “comburente natural”. Na Chapada Diamantina, garimpeiros e nativos utilizam-a para fazer fogo. No Cerrado, quando a umidade relativa do ar cai para valores abaixo de 10%, essa planta pode pegar fogo sozinha. Essa “auto-combustão”, entretanto, é altamente benéfica, pois o fogo provocado, rompe a dormência de alguns frutos, fazendo-os liberar as sementes, levadas pela dispersão eólica. Nas Dunas, por ser um sistema litorâneo, e a umidade relativa do ar ser sempre superior a 70%, as Canelas-de-Ema não se auto-combustam, mas queimam as pontas das folhas, dando a impressão de que foram queimadas.

As orquídeas são plantas da familia “Orchidaceae”, presentes em quase todos os continentes. Existem milhares de espécies de orquídeas, muito procuradas pelo seu valor ornamental. No Parque, dezenas de variedades de orquídeas como a “Vanilla”, de onde se extrai a baunilha, a “Cara-de-palhaço”, entre outras. Apesar de viverem sobre outras plantas, as orquídeas são “Epífitas”, pois crescem sobre as árvores, usando-as somente como apoio para buscar luz. Nutrem-se do material em decompopsição que cai das árvores e acumula-se ao emaranhar-se em suas raízes.

Venha conhecer nossas belas paisagens e vegetação exuberante em uma de nossas trilhas interpretativas!