Morador de Ipitanga captura cascavel para soltura no Parque das Dunas

Notícias Comentários desativados em Morador de Ipitanga captura cascavel para soltura no Parque das Dunas

g345fefcke

Na última segunda, 18 de junho de 2012, um morador do loteamento Marisol II, localizado no bairro de Ipitanga, encaminharam ao Parque das Dunas uma cascavel capturada artesanalmente.

O animal estava em meio a uma área residencial, num terreno abandonado. Temendo pela segurança do animal e de sua própria família, pois estava próxima ao muro de sua casa, o morador Abdon Salomão dos Santos Silva resolveu apanha-la por se tratar de um animal com alto nível de peçonha.

Em outra ocasião, Abdon já capturou uma jibóia de 2 metros, que foi entregue ao Centro de Triagem de Animais Silvestres Chico Mendes – Cetas, organização do IBAMA localizada no bairro do Cabula, em Salvador. “Enquanto via o site da UNIDUNAS percebi que o Cetas estava fazendo soltura de animais nativos deste ecossistema, então trouxe ao Parque das Dunas”, afirma o morador.

A cascavel, trazida em um recipiente artesanal (garrafão de 20 litros) à sede do Parque, foi recebida pela equipe da UNIDUNAS. Após constatação que a cobra é característica do ecossistema de restinga, a serpente foi solta num lugar de alta incidência de aparecimento da espécie.

CURIOSIDADE

Segundo o site “invivo”, da Fundação Oswaldo Cruz (http://www.invivo.fiocruz.br/), a cascavel é famosa por seu chocalho. Localizado na ponta da cauda, o chocalho serve para avisar – tem uma cascavel por perto – e espantar animais maiores, que poderiam machucar a serpente. Ele é formado aos poucos: a cada troca de pele, a cascavel mantém um pouco dela amarrada na ponta. Com o tempo, esses pedaços de pele viram guizos que fazem o famoso barulho de chocalho desta cobra. O veneno da cascavel provoca visão dupla e paralisa omúsculos da vítima.

Por Felipe Santana