Projeto “Estudos florísticos, taxonômicos e ecológicos em Orchidaceae em remanescentes florestais e de restinga na região metropolitana de Salvador”

Notícias Comentários desativados em Projeto “Estudos florísticos, taxonômicos e ecológicos em Orchidaceae em remanescentes florestais e de restinga na região metropolitana de Salvador”

A equipe coordenada por Felipe Fajardo V. A. Barberena (Pesquisador / Bolsista DCR-C da Universidade Federal da Bahia-UFBA), Dra. Nádia Roque (UFBA) e o graduando em Ciências Biológicas Tainan da Silva Sousa (UNIJORGE) deu inicio ao projeto “Estudos florísticos, taxonômicos e ecológicos em Orchidaceae em remanescentes florestais e de restinga na região metropolitana de Salvador” no Parque das Dunas. Confira o resumo do Projeto:

Estudos florísticos, taxonômicos e ecológicos em Orchidaceae em remanescentes florestais e de restinga na região metropolitana de Salvador, Bahia, Brasil.

RESUMO

Orchidaceae é uma família de extrema importância florística e ornamental no Brasil, inclusive em inventários de epífitas, onde representa mais de 30% das espécies coletadas, principalmente em Floresta Atlântica. A maioria dos estudos com epífitas envolve composição florística e/ou estrutura e estão centralizados na Região Sul do país. Diferentes métodos para a análise da distribuição vertical da sinúsia epifítica foram estabelecidos, baseados na divisão das árvores em zonas, estratos ou intervalos de altura. Entretanto, nunca foram discutidos aspectos conceituais e práticos desses métodos. Ainda assim, a maior riqueza e diversidade de epífitas têm sido assinaladas para a região da copa e decorrentes primordialmente da maior longevidade do hospedeiro, maior quantidade de substrato e condições ambientais mais favoráveis. Dessa forma, informações sobre o forófito e quanto à distribuição vertical e à especificidade dos hospedeiros se mostram fundamentais no estabelecimento de estratégias de conservação de orquídeas epífitas. Nesse contexto, pressupõe-se, ainda, que o reconhecimento de padrões epifíticos também possa auxiliar na identificação de gêneros e espécies de orquídeas em campo. Contudo, dados sobre distribuição vertical e especificidade por forófitos são incipientes no âmbito de plantas epífitas, particularmente em Orchidaceae. Recentemente, os esforços para catalogar as orquídeas do estado da Bahia permitiram revelar a região metropolitana de Salvador, onde estão localizados o Parque das Dunas e a Reserva de Sapiranga, como uma área com lacuna de conhecimento. Além disso, essas áreas abrangem remanescentes de restinga e de Floresta Ombrófila, tipos vegetacionais também pouco estudados para o estado. Desse modo, considerando toda a conjectura ecológica, taxonômica, o presente estudo objetiva: (1) revisar e discutir criticamente as metodologias existentes no estudo da distribuição vertical da sinúsia epifítica; (2) analisar a aplicabilidade dos diferentes métodos para interpretação da distribuição vertical das orquídeas epifíticas com base nas espécies do Parque das Dunas e da Reserva de Sapiranga, abordando as vantagens e desvantagens do emprego destes métodos em campo; (3) identificar as espécies forofíticas e averiguar a existência de especificidade por estratos e entre epífitas e forófitos; e (4) realizar o levantamento e o estudo taxonômico da família Orchidaceae no Parque das Dunas e na Reserva de Sapiranga. Esses estudos possibilitarão inferir sobre o método mais adequado para interpretação da distribuição vertical da sinúsia epifítica, norteando a padronização em trabalhos futuros, além de auxiliar estratégias de conservação e planos de manejo para remanescentes florestais atlânticos e de restinga e propiciar a ampliação de estudos taxonômicos sobre Orchidaceae no estado da Bahia.